Medicamentos para o tratamento da depressão: diferença entre antidepressivos e “calmantes”

Por uma questão de clareza, gostaria de fazer uma comparação entre o tratamento da ansiedade e depressão com o tratamento de uma amigdalite bacteriana.

Em 2011, o Dr. Amílcar Silva dos Santos desenvolveu um artigo no seu blog no qual procura sintetizar as diferenças entres medicamentos. Recuperámos esta informação porque pode ser do seu interesse.

 

Leia o artigo completo:

É frequente ouvirmos no nosso dia-a-dia, no cinema ou televisão algumas expressões do género: “ 1) estou deprimido, devo tomar um Xanax, 2) estou angustiado, preciso de um Lorenin, 3) estás muito triste, toma um calmante, 4) estás muito em baixo, toma um calmante”.

Essas afirmações parecem estar correctas e adequadas para as respectivas situações. No entanto, a evidência científica mostra que não! Porquê?

Vou tentar falar sobre este assunto com o máximo de clareza possível e o mínimo de jargão médico-psiquiátrico que conseguir. O meu objectivo é que o leitor tenha uma ideia transparente deste tópico.

As designações a) “medicamentos antidepressivos” b) “calmantes”e c) ansiolíticos não são claras para muitas pessoas. No quotidiano são muitas vezes utilizadas como sinónimos. O Prozac® (fluoxetina) é um dos antidepressivos mais conhecidos pela população em geral. O Valium® (diazepam) é efectivamente um dos ansiolíticos e “calmantes” que quase todas as pessoas já ouviram falar. O Prozac®, é utilizado essencialmente para tratar a depressão e a ansiedade, embora tenha outras indicações terapêuticas. O Valium® é muito utilizado em situações de ansiedade, NÃO é um antidepressivo, mas pode ser utilizado como tratamento adjuvante na depressão, sobretudo quando esta cursa com muita ansiedade associada. Este aspecto gera alguma confusão.

Poder-se-á perguntar: “se o Valium® não é um antidepressivo porque é utilizado em doentes com depressão?” A resposta a esta pergunta não é simples mas vou tentar clarificá-la, indicando duas das suas principais utilizações nesses casos. 1) O Valium® , no tratamento inicial de uma depressão, durante poucos dias evita alguns efeitos secundários dos antidepressivos, 2) Como grande parte das situações de depressão cursa com ansiedade, e os antidepressivos demoram 3 a 4 semanas a fazer efeito, o Valium® pode ser utilizado, nos primeiros dias de tratamento, para reduzir temporariamente alguns sintomas de ansiedade.

Por uma questão de clareza, gostaria de fazer uma comparação entre o tratamento da ansiedade e depressão com o tratamento de uma amigdalite bacteriana:

– O Valium® (ou outros calmantes como o Xanax®) está para o tratamento da depressão como o BEU-U-RON (paracetamol) está para o tratamento da dor de garganta numa amigdalite bacteriana.

– O Prozac® (ou outros antidepressivos) está para o tratamento da depressão como um antibiótico (ex. amoxicilina) está para o tratamento da amigdalite bacteriana.

– Ou seja, o Valium® “alivia a dor psíquica” assim como o paracetamol alivia a “dor física” numa amigdalite.

– O Prozac® (ou outros antidepressivos) resolve “os sintomas nucleares de uma depressão” assim como um antibiótico trata os “sintomas nucleares de uma amigdalite bacteriana, isto é, neste caso elimina as bactérias”.

Partilhar