Saiba como funciona o Pólo de Lisboa da Associação Portuguesa das Crianças Sobredotadas

No Pólo de Lisboa realiza-se a consulta de avaliação psicológica pelas técnicas especializadas, o acompanhamento individual e o aconselhamento parental e escolar.

A Associação Portuguesa das Crianças Sobredotadas (APCS) assinou em 2012 um protocolo com sócios residentes em Lisboa dando origem ao respetivo Pólo.

O Pólo de Lisboa surge pela necessidade de dar respostas aos diversos pedidos, pais e professores, e promover o desenvolvimento saudável das crianças sobredotadas. O Pólo é coordenado pela Dra. Catarina Pedro, psicóloga e fundadora, e tem a colaboração da Dra. Rita Chichorro, psicóloga e coordenadora de Projeto Investir na Capacidade (PIC). As duas profissionais exercem também atividade na Egomed.

No Pólo de Lisboa realiza-se a consulta de avaliação psicológica pelas técnicas especializadas, o acompanhamento individual e o aconselhamento parental e escolar.

A avaliação pedagógica é realizada pela Dra. Helena Serra, que se desloca a Lisboa com frequência mensal. Durante o período letivo decorre o programa de intervenção em grupo Projeto Investir na Capacidade, com a colaboração de um monitor residente, contando com a participação de diferentes convidados.

 

Associação Portuguesa das Crianças Sobredotadas e Projeto Investir na Capacidade (PIC)

O PIC nasceu devido à necessidade de dar resposta a alunos com capacidades acima da média. Estas crianças sobredotadas manifestam um desfasamento entre as suas competências e a forma como a escola se organiza, os pode levar à desmotivação e a resultados muito aquém do que poderiam ter. Ressalva-se que esses alunos podem apresentar áreas deficitárias, que necessitam de ser desenvolvidas.

Este projeto tem como objetivo desenvolver as diferentes competências dos alunos, que foram selecionados através de um processo de triagem criterioso, pela parceria estabelecida entre o colégio e as escolas, e também das crianças sinalizadas pela avaliação psicológica e psicopedagógica. No PIC são promovidas atividades diferenciadas da instituição escola, com uma visão idiossincrática, promovendo o desenvolvimento de competências associadas às artes, às humanidades, às ciências, desenvolvendo competências socias, emocionais e pessoais.

Consulte o documento oficial sobre o projeto neste link.

 

Contacto e sensibilização escolar

Os alunos com capacidades acima da média têm de ser orientados e estimulados para desenvolverem maximamente os seus potenciais.

O Despacho Normativo nº1-F/2016 prevê a diferenciação, no currículo e nas estratégias de ensino-aprendizagem, a ser definida em um programa específico. A APCS dá resposta a inúmeros pedidos de ajuda das famílias que percebem os filhos desmotivados e descontentes nas escolas, por vezes a não querer ir às aulas ou a tirar baixos resultados, apesar das suas capacidades elevadas.

 

Celebração dos protocolos com as escolas

Para promover e desenvolver parcerias com o projeto devem ser seguidos passos considerados convenientes e importantes:

  • Selecionar futuros parceiros, tendo em conta a sua localização geográfica, área de atuação na sociedade, potencialidade de ser um benefício ativo para o PIC;
  • Marcar reunião com entidade gestora ou diretiva;
  • Apresentação do PIC e as vantagens de ser nosso parceiro;
  • Celebração da parceria.